Aranhaverso e a Amizade

Janeiro é mês de escrever alguma coisa no meu blog, de tirar a poeira dos velhos textos e de ir no cinema com as crianças. Juntando tudo isso, fui assistir ao excelente Spider-Man: Into the Spider-Verse e fiquei com algumas reflexões sobre o mesmo que queria partilhar por aqui. Já avisando, pode ser que tenha spoiler daqui pra frente, então, já sabe.

Neste filme, o jovem Miles Morales se torna, de forma improvável e de repente, o homem-aranha e cabe a ele a difícil tarefa de salvar o mundo. Até aqui, parece o enredo padrão de qualquer filme do homem-aranha. Mas cabe uma pequena lembrança sobre este interessante personagem: ele é um cara qualquer que aos poucos vai assumindo a sua responsabilidade de super-herói e as consequências desta responsabilidade.

Como qualquer homem-aranha, de qualquer outro filme, Miles – a princípio – não parece ser o cara certo para ser o homem-aranha (com uma cara de, por que justo eu?) e sofre para se adaptar e aprender a lidar com os seus poderes e rapidamente e em sequência, com a responsabilidade por eles. Pra complicar um pouco, o homem-aranha que era conhecido tinha acabado de morrer e de delegar ao Miles a responsabilidade de salvar o mundo.

Neste filme, vários universos se encontram e personagens se transportam de um universo para outro. Cinco diferentes homens-aranhas de diferentes universos se unem para ajudar Miles a salvar o mundo. Nasce entre eles uma amizade e uma colaboração mútua para atingir o objetivo. E é precisamente graças aos amigos que o personagem de Miles se desenvolve e acaba ajudando aos outros amigos a se desenvolverem. Este é o verdadeiro papel do amigo. 

Um amigo é realmente capaz de ajudar ao outro a desenvolver o melhor de si, que está dentro de si, mesmo que o outro não seja capaz de ver ou ainda não acredite que pode. Um verdadeiro amigo não desiste de ajudar o outro a atingir o seu verdadeiro potencial e também de que ele seja verdadeiramente feliz. (Como faz o Peter com o Miles).

Um amigo diz a verdade quando é preciso e alenta que ele continue trilhando o caminho rumo a felicidade, mesmo que para isso seja preciso corrigir alguns erros (como faz o Miles com o Peter). E por último, amigos querem sempre o melhor um para o outro (como todos entre si).

Enfim, este filme tem pequenos e belos detalhes de uma bonita amizade) que enriquecem ainda mais o filme. A música Sunflower, do Post Malone, cai como uma luva no filme todo e deixo aqui pra vocês:

PS: Quer saber quem é o verdadeiro homem-aranha neste filme? Aqui tem um excelente artigo!

Curtiu?

Então dá um clique no coração! 😎 Compartilhe também esse post em sua rede social preferida, deixe um comentário ali embaixo e assine a minha newsletter!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Deixe seu comentário!

Silvio Eberardo · 2019 © Todos os direitos reservados