2 Comentários

  1. La Batalema Pitonisto

    Para nós brasileiros essas coisas são difíceis de aceitar – eu mesmo não concordo –, mas para os norte-americanos não.

    Essas cláusulas estão perfeitamente de acordo com o conceito de liberdade ianque.

    Um país que se considera exemplo de liberdade, onde você não tem liberdade de pensamento político, é vigiado e monitorado dia e noite e até sua religiosidade é avaliada pelo governo… um governo que faz armadilhas para raptar estrangeiros que incomodam ao expor as falhas de liberdade… esperar o quê?

    Não estou defendendo o Google, apenas acho que não podemos avaliar nada sem considerar o contexto sócio-político.

    []’s
    Cacilhas, La Batalema

  2. Adriano [Próspero]

    Será que o conteúdo do Gmail também entra nessa jogada?… =S

    Mas de qualquer forma, por mais que cláusulas contratuais eletrônicas me assegurassem alguma privacidade, quem acreditaria que minhas informações online estão completamente seguras? Ainda mais com as políticas anti-terrorismo dos EUA, que atropelam qualquer política de privacidade, e a facilidade com que a corrupção política se espalha no mundo entre os grandes e pequenos governos. Nesse caso, a questão já deixa de ser “sou observado?”, para ser “por quem sou observado?”…

    Vale a pena dar uma olhada também nesse artigo -> http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2007/08/27/idgnoticia.2007-08-27.0948660148/ .

    Cuidado, se vc Googlar errado, Jason Bourne pode bater à sua porta (aliás, ele não bate…) hehehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Couldn't connect to server