Redes Sociais

Acabei de participar de um bate papo aqui no TechEd com o Rob Howard, presidente da Telligent sobre redes sociais. É muito bacana ver uma seção sobre este assunto num evento da Microsoft.

O contexto do papo começou muito na linha do Cluetrain Manifesto, que em resumo diz que já estão existindo conversas em todos os lugares (e também na web) sobre os produtos e serviços das empresas. Como então as empresas podem fazer parte destas conversas, escutando e contribuindo?

Uma das respostas para isso são as redes sociais, tais como Facebook (o Orkut dos americanos), Youtube, Blogs, Wikis, etc. Estas ferramentas são uma maneira que as empresas podem escutar mais claramente o mercado e com base nestas informações, tomar até mesmo decisões de negócios.

Os segmentos de maior atividade empresarial nas redes sociais hoje são Mídia, Entretenimento e Tecnologia. Faz sentido, já que são os que mais se envolvem com o tipo de inovação trazida pela onda das redes sociais: conteúdo, informação e tecnologia.

O bate papo foi bastante interessante para ver o que as pessoas de grandes empresas aqui nos EUA estão pensando sobre o uso das redes sociais nas empresas. Abaixo algumas das preocupações da turma:

  • Aspectos legais – como ter controle sobre o que os funcionários estão colocando nos blogs? Como evitar que haja vazamento de informações? É compreensível que aqui nos EUA haja uma atenção com este detalhe. Aqui é um país onde a pessoa sobe no caixote pra reclamar e que a justiça costuma funcionar. A recomendação é definir uma política para blogs, informando o que pode ou não ser publicado. Mais que isso, a empresa pode se aliar ao funcionário blogueiro e fazer dele um porta-voz oficial da empresa frente ao mercado.
  • Aspectos técnicos – implementar em casa? hospedar em serviços externos? Aqui existem muitas empresas que prestam serviços (SaaS – Software as a Service) para redes sociais. Mas, como o Rob trabalha com muitas empresas que preferem ter seus dados hospedados por eles mesmos, e tem um produto nesta linha, este foi o modelo comentado. Na prática não faz diferença, desde que o parceiro escolhido pela empresa tenha uma boa reputação e seu datacenter seja confiável.
  • Aspectos de negócio – como definir uma estratégia para uma rede social corporativa? Como mensurar resultados? A preocupação por ROI sempre foi tema deste tipo de conversa. Os céticos presentes acreditavam que apenas poderia se mensurar resultado através de retorno em marca (Brand Equity), o que não é totalmente verdade. As redes sociais podem ser um espaço para não deixar no vácuo aquelas conversas que já estão acontecendo.

Pra quem está querendo saber um pouco mais, recomendo o livro do Fábio Cipriani, Blog Corporativo – ele dá bastante idéia de por onde sua empresa pode começar: um blog. Inclusive, é muito mais contextualizado para a nossa realidade brasileira.

0

Curtiu?

Então dá um clique no coração! 😎 Compartilhe também esse post em sua rede social preferida, deixe um comentário ali embaixo e assine a minha newsletter!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Deixe seu comentário!

Silvio Eberardo · 2020 © Todos os direitos reservados

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!